Tráfego Pago: Como funciona, que ferramentas usar e 5 dicas

O tráfego pago ainda não faz parte da sua estratégia?

Se for o caso, dá tempo de repensar essa ideia.

Criar um site e deixar ele do jeito que imagina, é um dos passos mais empolgantes na hora de colocar a empresa na internet.

Desanimador só seria se, depois de todo esse esforço, ele não recebesse nenhuma visita, não é mesmo?

Mas não existe (ou não deveria existir) motivo para preocupação.

Neste artigo, você vai entender como o tráfego pago pode te ajudar a evitar esse problema.

Esse pode ser um importante aliado tanto para negócios em fase de consolidação quanto para quem quer apenas aumentar visitas no site.

Vamos explicar o que é tráfego pago e por que deve considerá-lo em sua estratégia de marketing digital, para tornar sua marca mais conhecida.

Se você faz Google Ads, é fundamental que conheça as melhores estratégias para reduzir o CTR dos seus anúncios, ou acabará perdendo dinheiro na captação de leads. Para descobrir como gerar leads de forma mais eficiente para o seu negócio.

O que é tráfego pago?

Tráfego pago se refere aos visitantes que chegam até um site, loja ou página por meio de anúncios publicitários em plataformas específicas. Diferente do tráfego orgânico, depende do investimento realizado para gerar resultado. Portanto, só a empresa que paga para aumentar a visibilidade de suas páginas que gera tráfego pago.

Entre as fontes de tráfego pago existentes hoje, a mais conhecida delas é o Google Ads, a plataforma de anúncios do Google.

Através dela é possível criar anúncios que ajudam a colocar o seu site em primeiro na página de resultados do mecanismo de busca.

Cada anúncio que aparece nos resultados do Google – identificados com a tag “Anúncio” antes da URL – só é ativado, digamos assim, quando o usuário busca pela palavra-chave atrelada a ele.

Assim que ele clica nesse anúncio, é automaticamente direcionado para a página de destino ligada a ele. E é dessa forma que o tráfego pago acontece.

A única desvantagem de criar um anúncio para gerar tráfego pago é que, quando o dinheiro investido termina, ele sai do ar e não pode ser mais encontrado pelo usuário.

Com isso, é preciso usar outras estratégias de marketing digital para voltar a aumentar o número de visitantes ao site em questão.

Tráfego orgânico e tráfego pago: qual a diferença?

Sei que, provavelmente, você já entendeu a diferença entre tráfego orgânico e tráfego pago, mas, para evitar qualquer dúvida, vou explicar melhor.

Em suma, o que difere esses dois tipos de tráfego é o investimento que exige para aumentar os acessos às páginas que deseja.

No tráfego orgânico, os investimentos não são físicos. Você tem que dispor de tempo, dedicação e técnica.

Já no tráfego pago, o investimento é literal: dinheiro mesmo.

Depende de quanto você aplica em suas campanhas online e do quanto é capaz de criar anúncios atraentes e ao mesmo tempo relevantes.

Então, só para revisar os dois conceitos, tenha em mente que:

Tráfego orgânico não tem custo. É aquele em que o visitante chega até suas páginas de forma natural, ou seja, sem clicar em um anúncio
Tráfego pago é aquele que acontece assim que ele clica em um de seus anúncios e é direcionado para o seu site.
Apesar das diferenças, ambos costumam fazer parte das estratégias de marketing digital das empresas.

Por que investir em tráfego pago?

Se a sua dúvida é se vale a pena investir em tráfego pago, a resposta é: depende se quer ter resultados imediatos ou duradouros.

Embora o tráfego orgânico seja bastante efetivo, construir uma estratégia de SEO (Otimização para Mecanismos de Busca) leva tempo e exige muito estudo.

Além de planejamento, requer conhecimento técnico para otimizar cada detalhe de suas páginas.

Então, não é algo que se aprende, se aplica e gera retorno do dia para a noite.

Por outro lado, quando dá resultado, ele dura mais tempo do que o período em que você paga para manter anúncios ativos.

Já o tráfego pago pode gerar resultados imediatos e não exige tanto conhecimento técnico.

Basicamente, tudo o que você precisa é estudar o funcionamento das plataformas de anúncios.

E, claro, escolher para quais páginas quer levar mais visitantes.

Então, trabalhar com tráfego pago vale a pena caso se encaixe em pelo menos uma das seguintes situações:

Não tem tempo para estudar SEO e produzir conteúdo relevante
Ainda não conta com uma equipe especializada em marketing de conteúdo
Criou seu site há pouco tempo e ainda não consegue gerar um grande tráfego de visitantes para ele
Vai criar um site e quer ter certeza que ele vai ter visibilidade diante do público-alvo.
Outra vantagem de investir em tráfego pago é que ajuda a aumentar a taxa de conversão, melhorando não só o tráfego do site, como também sua reputação online.

Ao contrário do que muitos imaginam, você não precisa investir mares de dinheiro para ter resultado em tráfego pago.

Como funciona o tráfego pago?

Para entender como funciona o tráfego pago, é preciso detalhar a parte técnica do assunto.

Começando pelos anúncios, existem dois métodos para pagar para que eles sejam exibidos e possam levar tráfego para as suas páginas:

CPC (Custo Por Clique)
CPM (Custo Por Mil Impressões).
Como a ordem de exibição dos anúncios nos resultados de busca depende de um leilão entre aqueles que querem anunciar, é preciso optar por um desses métodos para dar seu lance.

Então, você pode pagar pelo clique que o usuário dá no seu anúncio (CPC) ou por aparecer mil vezes no resultado de busca (CPM).

A posição dos anúncios nos resultados depende do lance dado dentro da plataforma de anúncios.

Agora, aprofundando um pouco mais CPC e CPM:

CPC é o método mais indicado para levar tráfego real para as suas páginas, já que você só vai pagar pelos cliques que seus anúncios receberem
CPM é recomendado para quem quer ter maior visibilidade, pois o foco é fazer com que o anúncio apareça mais vezes.
Como você pode ver, o objetivo de um é gerar clique e, de outro, simplesmente aparecer.

Se ainda não tem certeza de qual é a melhor escolha para as suas campanhas online, o que recomendo é o seguinte:

Escolha o CPC se sabe quanto quer gastar nessa estratégia de marketing
Prefira o CPM se acabou de criar seu negócio e quer ter mais visibilidade e posicionamento de marca.
Depois de definir o método, basta criar seu anúncio e fazer as devidas configurações para que ele possa ser exibido exatamente para o público que deseja alcançar.

7 plataformas de tráfego pago para você usar

Existem diferentes plataformas para criar anúncios para aumentar o tráfego de um site.

Para ajudar você nessa escolha, falamos agora sobre as sete principais.

1- Google Ads
2- Facebook Ads
3- Instagram Ads
4- YouTube Ads
5- LinkedIn Ads
6- Taboola
7- Bing Ads

5 dicas para ter uma melhor performance com tráfego pago

Para complementar a sua estratégia, veja agora algumas dicas que separei para ajudar você a se tornar um especialista em tráfego pago.

1- Conheça as necessidades da sua persona
Entender as dores da persona, qual linguagem ela usa e por quais canais mais busca informações, facilita o desafio de falar o que o público quer ouvir.

2- Faça apenas anúncios verdadeiros
Por mais clichê que pareça, todo anúncio deve ser objetivo e verdadeiro.

Criar um anúncio que não cumpre o que promete só vai elevar a taxa de rejeição da sua página de destino, comprometendo o desempenho do seu site.

Por isso, é importante ter ética ao criar anúncios verdadeiros e ao evitar exageros até mesmo ao citar a dor da persona.

3- Use o Lookalike para aumentar o alcance do anúncio para públicos parecidos
Lookalike pode ser traduzido como sósia, mas, no marketing digital, é um grupo de pessoas mais propensas a comprar seu produto por serem parecidas com seu público.

Trocando em miúdos, ajuda a atingir pessoas mais próximas da conversão.

4- Utilize técnicas de neuromarketing para aumentar a conversão
Philip Kotler, o pai do marketing, já dizia que todo profissional da área precisa identificar as ansiedades e desejos dos consumidores para alcançar suas mentes, corações e espíritos.

Isso pode ser encurtado ao trabalhar gatilhos mentais ao elaborar os anúncios.

5- Deixe claro qual é a ação que espera do usuário
Para gerar tráfego pago, é preciso ter em mente a ação que espera que o usuário tome em seus anúncios.

Dessa forma, a pessoa impactada por eles vai se sentir menos perdida ao decidir se deve ou não ir para as suas páginas e se elas podem ter respostas para o que procuram.

Conclusão
Agora, você já sabe o que é, como funciona o tráfego pago e como tornar seus anúncios ainda mais efetivos.

Para deixar você ainda mais afiado sobre como fazer tráfego pago, aqui vai uma dica extra: lembre que cada fonte de tráfego é única.

O mesmo vale para as necessidades da persona e como deve passar a mensagem que deseja para ela.

Anunciar no Facebook é bem diferente de anunciar no LinkedIn. E os interesses das pessoas que navegam por esses canais também variam.

Então, quanto melhor estudar seu público e como interagem com essas fontes, mais assertivo será seu anúncio e maior o tráfego pago conquistado.

Conseguiu tirar todas as suas dúvidas sobre tráfego pago?

Essa é uma maneira de atingir um público qualificado e trazer mais visibilidade à sua marca mais rapidamente.

Esperamos que este post tenha ajudado a esclarecer o que precisa para tornar sua estratégia de marketing digital ainda mais completa.