É o fim do bear market de cripto? Bitcoin volta a subir e decisão monetária do Fed tem tudo a ver com isso; entenda porque pode ser hora de comprar criptomoedas.

A diminuição do aperto monetário nos EUA animou investidores, inclusive os que possuem moedas digitais. Segundo especialista, aumento de 21% no valor do Bitcoin, em um mês, pode ser um sinal de que vale a pena ter esses ativos em sua carteira

Sabe aquele alívio que a gente sente quando algo muito esperado acontece e traz um resultado positivo? Pode ser a nota de uma prova ou o resultado de um exame, por exemplo. Foi uma sensação muito parecida com essa que os investidores de criptomoedas sentiram na última quarta-feira (27), após a decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central americano).

Isso porque Jerome Powell, presidente do Fed, anunciou a elevação da taxa de juros em 0,75 p.p. Apesar de ser, sim, um aumento, o índice ainda ficou dentro das expectativas de grande parte dos especialistas, enquanto outros mais pessimistas cogitavam (e temiam) um avanço de 1 p.p.

Portanto, não foi uma decisão que pegou ninguém de surpresa – pelo contrário, ficou dentro do que os investidores e economistas mais confiantes esperavam para este momento.

Ainda que em desaceleração, os juros vêm em uma escalada recente que tem como motivação a contenção da inflação nos Estados Unidos, que está em 9,1% e já ultrapassa os números dos últimos 41 anos.

Desde o anúncio de quarta-feira, os principais ativos digitais vêm em uma subida que contrasta com o começo de mês difícil enfrentado por eles em julho. Só o Bitcoin, por exemplo, já valorizou 11% desde o anúncio do Fed – na tarde deste dia 2, a criptomoeda alcançou os US$ 23.424.

Quando comparado ao início do mês, então, o valor do Bitcoin já saltou 21% – eram US$ 19.252 no dia 1º.

É certo que essa diminuição do aperto monetário beneficia todos os ativos de risco. O mercado de ações norte-americano, por exemplo, disparou no momento em que Powell anunciava que a economia dos Estados Unidos não vive uma recessão e nem deve vivê-la tão cedo. A declaração foi suficiente para fazer o Dow Jones subir cerca de 500 pontos e Nasdaq passar dos 4%.

No mesmo embalo, os entusiastas das criptomoedas também puderam voltar a sorrir na última semana – ainda que discretamente. O Bitcoin e outras criptomoedas, que já vinham recuperando seu valor desde o final de junho, foram ainda mais impulsionados pela decisão do banco central americano.

Mas, afinal, as notícias recentes e a retomada do crescimento das principais criptomoedas devem deixar os investidores desse mercado confiantes? É hora de acreditar que vale a pena apostar nos ativos digitais, ou o cenário econômico mundial, marcado por guerra e inflação desenfreada (inclusive por aqui), ainda deve reforçar a aversão ao risco na hora de se posicionar?

É normal que você esteja nessa dúvida. Para respondê-las, existem especialistas analisando toda essa conjuntura e com uma opinião na ponta da língua para a pergunta que não quer calar: é hora de comprar criptomoedas?

Vinicius Bazan, analista de criptoativos na maior casa de análise financeira independente do país, é um deles. E em um material gratuito, que você pode acessar aqui, é possível conhecer 5 razões pelas quais o especialista acredita que é válido aproveitar o momento para adicionar moedas digitais à sua carteira de investimentos.

No mesmo relatório, ele também apresenta 2 pontos de preocupação com relação às criptomoedas. Na opinião dele, o momento de alta atual pode representar uma “armadilha do otimismo” para o investidor mais inexperiente. No total, são 7 tópicos que ele indica como fundamentais para serem analisados antes de decidir expandir seu portfólio com criptomoedas.

O que o analista reforça, especialmente, é que é preciso estar atento a todo o cenário macroeconômico antes de sair comprando ou vendendo Bitcoin, Ethereum ou qualquer outra criptomoeda. Mas não se preocupe: prestando atenção em cada um dos 7 argumentos apresentados pelo analista neste relatório, você conseguirá decidir de forma consistente se deve ou não fazer esses investimentos.

É o fim do bear market de cripto?
Tem muito especialista que viu a queda abrupta sofrida pelo Bitcoin no mês de junho como um sinal claro de bear market. Para quem não sabe, o termo se refere a períodos de instabilidade e pessimismo no mercado financeiro tradicional. Recentemente, o conceito também começou a ser aplicado ao mercado de criptoativos.

Se pode ser chamado ou não de bear market, não importa muito. A questão é que o mercado de criptoativos tremeu após o valor do Bitcoin derreter em poucos dias, chegando até aos US$ 18 mil em meados de junho.

Vale lembrar que a moeda tem o preço de US$ 20 mil considerado como suporte por analistas gráficos. Portanto, cair abaixo disso poderia significar motivo de preocupação para quem aposta em ganhos rápidos com ativos digitais.

No total, o Bitcoin teve uma perda de 60% de valor de mercado registrada no primeiro semestre deste ano. Muito disso está conectado ao cenário de inflação nas alturas que é visto em todo o mundo. Com outras prioridades, boa parte dos investidores deixou de fazer aplicações ou migrou para a renda fixa, uma classe que se torna atrativa em momentos de juros altos como o de agora.

Além disso, é impossível falar sobre o declínio das criptomoedas sem citar o colapso de Terra (LUNA) ocorrido em maio, quando o ativo perdeu quase todo o seu valor e levou, consigo, todo o mercado para baixo.

Há quem enxergue essa queda no preço das principais moedas do mercado como uma oportunidade. Quem confia nos fundamentos do Bitcoin, por exemplo, com certeza aproveitou esses últimos meses para comprar barato, com a expectativa de poder lucrar no futuro.

Mas será que essa é, realmente, uma estratégia que vale a pena ser colocada em prática neste momento? Quem garante que o Bitcoin e outras criptos, algum dia, vão voltar ao patamar máximo já alcançado – ou superá-lo?

Para o CEO da corretora de criptomoedas Coinext, o Bitcoin deveria custar hoje US$ 45 mil. “Se me perguntarem se o Bitcoin está abaixo do preço que pregam seus fundamentos, eu certamente direi que sim”, disse José Arthur Ribeiro em entrevista recente ao Papo Cripto, programa do portal Seu Dinheiro.

O mercado de criptomoedas, em geral, é assim mesmo: cheio de opiniões implacáveis e gente argumentando o tempo todo sobre compra e venda dos ativos. Para fugir dos extremismos, é preciso avaliar o cenário com calma e ponto a ponto – como Vinicius Bazan fez no relatório que você pode acessar de graça e sem rodeios clicando aqui.

Algo é capaz de indicar que o Bitcoin e outras criptomoedas vão realmente continuar subindo?

Se o cenário econômico instável do primeiro semestre fez o principal criptoativo derreter 60%, fica difícil acreditar que esse seja um produto tão resiliente a ponto de atravessar os desafios dos próximos meses. Inflação, conflitos e aperto monetário, por exemplo, ainda parecem longe de melhorar ou de ter um fim…

Mas não se precipite: você ainda pode, sim, decidir que se posicionar em cripto é a melhor decisão a ser tomada agora para multiplicar suas finanças. Tudo depende do quanto você irá se atentar aos argumentos trazidos pelo especialista Vinicius Bazan em seu relatório gratuito.

É hora de arriscar ou de se proteger?
Não é possível fechar os olhos para a realidade que está bem à nossa frente: um cenário econômico de instabilidade e que não promete melhorar tão cedo. Por aqui, no Brasil, ainda temos eleições se aproximando e uma Selic (taxa básica de juros) que já alcança os 13,75% a.a.

Com isso, a renda fixa deve continuar atraindo investidores que desejam proteger suas finanças. No primeiro semestre do ano, debêntures e os títulos públicos Tesouro Selic foram as aplicações que se salvaram e apresentaram maiores rentabilidades.

Apesar de toda essa conjuntura não ser a mais favorável, Vinícius Bazan encontrou 5 razões que podem te convencer a aproveitar este momento para investir em criptomoedas. Na opinião dele, o valor dos ativos agora está com um desconto muito grande em relação a seus patamares históricos. Isso significa a existência de uma janela de oportunidade jamais vista para que você invista pagando barato.

Não se engane: em um curto prazo, é bem provável que as criptomoedas continuem enfrentando desafios e oscilações em seu valor, na visão de Bazan. No entanto, há 5 motivos que mostram porque vale a pena ser resiliente e pensar nos ativos digitais como um bom investimento para o longo prazo.

Você não precisa desembolsar nem um real sequer para ter acesso à análise completa realizada por Vinicius Bazan, o especialista responsável pela carteira que entregou a maior valorização de toda a Empiricus nos últimos 5 anos. Quem seguiu à risca as recomendações dele na série Exponential Coins, de outubro de 2017 até o fim do mês passado, obteve 848% de lucro.