Arquivo da categoria: Branding

As Grandes empresas começaram do pequeno

Para marcas que querem crescer recomenda-se o fornecimento de tônicos. Levemente balanceados entre doses de esperança, inspiração e prática. Neste equilíbrio, grandes marcas surgem como fonte importante de exemplo, tanto positivo quanto nem tanto. Mas quando estes ícones do branding são trazidos à discussão estratégica, alguns interlocutores argumentam que quando se é grande fica fácil fazer qualquer coisa. Dinheiro, equipe, público. Tem tudo à mão.

Mas como marcas gigantescas e icônicas começaram? Grandes e imponentes ou pequenas e audaciosas? Nike, HP, Apple, Häagen-Dasz. Quatro marcas, quatro exemplos. Inícios inconstantes, possibilidade de sucesso duvidosa. Histórias que se assemelham a milhares de marcas que querem se lançar ao mercado, mas tem dúvidas sobre os caminhos e a energia que devem despender.

Intimamente ligada ao mito do (super) herói, a Nike carrega uma origem autêntica nas pistas de corrida. Nascida em campos de treinamento. Dois idealizadores, corredor e treinador, apaixonados por encontrar um produto que melhorasse o desempenho de atletas profissionais. E um trabalho de posicionamento perfeitamente executado.

Por outro lado, HP e Apple nasceram em contextos parecidos, separadas por décadas de distância. A primeira no início do boom dos equipamentos eletrônicos, impulsionada pela paixão de dois inventores. A segunda no grande boom dos computadores pessoais, igualmente alicerçada em dois idealistas da contra-cultura. Grandes ideias recheadas de ousadia nos negócios. O primeiro contrato da HP foi feito com Walt Disney para produzir o filme Fantasia, hoje um clássico do desenho animado. Já a Apple, despontou criando um contraponto ao mundo dominante da IBM, líder incontestável da época.

Em outro segmento, para muitos sorvete tem um sinônimo: Häagen-Dasz. Cremoso, sofisticado, premium. Como um bom sorvete nascido no Bronx. Bronx? Sim, poucos sabem, mas o berço deste sorvete ícone não é a Europa, mas um bairro nova iorquino que pouco combina com os atributos hoje reconhecidos da marca. Sabiamente, seu criador procurou conferir um nome que remetesse aos países nórdicos, mesmo não o sendo. Inclusive, o jogo de letras e o nome composto não guardam qualquer significado na língua onde foi inspirado, o dinamarquês. Mas carrega todo sentido na percepção desejada junto ao seu público consumidor.

Assim da próxima vez que ouvir uma história de grande marca, lembre-se que ela começou como você. Pequena e invisível no mercado. No porta-malas de um carro, como a Nike, na garagem como HP e Apple, ou na cozinha de casa em um modesto e violento bairro como Häagen-Dasz. Mas nem por isso, os contextos contrários, os desafios imensos, fizeram marcas e empreendedores desistirem. Eles estavam com grandes ideias nas mãos e na busca das ferramentas certas para fazê-los conquistar o mundo. Pense seriamente nisso quando tentar encontrar desculpas para não ir além.

 

seja-revolucionario-na-internet_hospedagem-e-site-1

 

Branding

Para compreender melhor o conceito, é preciso entender como se dá o processo de construção de uma marca, composta pelo tripé: Definição do negócio, Posicionamento e Proposta de valor. O negócio deve informar de forma clara qual o produto ou serviço oferecido, o posicionamento é o que determina onde a sua marca estará na escolha do consumidor, relacionado diretamente as estratégias de reputação, onde a marca precisa mensurar e cuidar de todas as opiniões de seus serviços, a percepção que é a maneira que o público observa a marca, se líder de mercado, ou melhor no segmento, por exemplo e por último o slogan: que é o resumo do que a marca pode entregar ao consumidor. A Proposta de valor é basicamente resumida em qual benefício será entregue ao cliente que consumir a marca.

O Branding é desenvolvido pelo profissional de marketing munido de estratégias, que quando bem construído deve atrair consumidores e fãs para a marca. Mais do que isso, o termo pode ser definido como o conjunto das ações diretamente relacionadas a gestão de marcas.Logo, a gestão de uma marca pode ser entendida como a criação e a manutenção de sua confiança, ou seja, a missão da empresa e o seu posicionamento devem ser coerentes e o que se vende deve ser cumprido.
Uma empresa com uma forte presença de mercado e posicionamento bem definido, geralmente é uma instituição cujos profissionais que lá trabalham absorveram totalmente a missão que a marca simboliza, por isso, todo processo de construção de identidade de uma marca é desenvolvido de acordo com o que a empresa acredita.

Ele também pode ser considerado como o trabalho de construção e gerenciamento de uma marca junto ao mercado. A construção de uma marca forte para um produto, uma linha de produtos ou serviços é consequência de um relacionamento satisfatório com o mercado-alvo. Quando esta identificação positiva se torna forte o bastante, a marca passa a valer mais do que o próprio produto oferecido. Branding é como é chamado o conjunto de práticas e técnicas que visam à construção e o fortalecimento de uma marca.seja-o-diferencial_criacoes

Para gerenciar e construir o branding de uma empresa, seu planejamento e análise de estudos deve passar por onze etapas básicas, citadas a seguir:

– Arquitetura da Marca: como se dá a estrutura da marca. Corporativa, onde o nome e o design gráfico juntos descrevem o segmento e atuação da empresa. Validada ou endorsed, quando uma empresa possui diferentes marcas, cada qual com sua própria identidade. Individualizada ou branded, onde existe uma corporação gestora e que distribui cada marca diferente, a qual possui segmentação própria a seu determinado consumidor;

– Análise dos quatro vetores: estudo e entendimento do Produto, qual o Ambiente que se vende o produto, o modo como a Publicidade/Comunicação é feita aos consumidores e o Comportamento dos gestores da marca/empresa;

– Qualidade do produto ou serviço: A divulgação do serviço/produto deve especificar sua qualidade, seja ela maior que a dos concorrentes ou o valor mais competitivo do mercado, deve-se ser claro sobre este quesito;

– O que está dentro e o que está fora: Talvez esta seja a premissa do Branding, a marca tem duas funções primordiais que são: convencer quem está fora a comprar e persuadir quem faz parte dela, a crer no seu ideal;

–  Marcas inventadas e reinventadas: a primeira opção se dá quando uma marca é inserida a um mercado, ou seja, quando é novidade. O processo de reinventá-la parte-se da estrutura, cultura e reputação já existentes;

– Diferenciação: Tudo é uma questão de atribuir um novo olhar a um produto ou serviço, se a marca tiver sucesso em realizar uma releitura a algo comum ou transformar um simples objeto em desejo de consumo, a marca possui um diferencia e uma identidade própria;

– Sair do óbvio ou romper com o padrão: para sair na frente da concorrência as vezes é necessário romper as convenções pré-estabelecidas e anunciar algo revolucionário e novo;

– A Promoção: de nada adianta pesquisar, planejar e desenvolver um produto ou marcasse esta não for divulgada a seu público de interesse, para tanto a publicidade/promoção é importante neste processo;

– Pesquisar para reduzir o risco: Analisar o mercado, mensurar dados, colher informações sobre o público seu segmento e as tendências, além de outros dados úteis, servem como base e de ferramenta para diminuir os riscos e ser mais assertivo nas ações do planejamento;

– Coerência e Clareza: a marca deve externar e reforçar a confiança, além de baseada na coerência de sua missão, imagem, posicionamento, segmentação, público alvo, enfim, deve manter uma unidade consistente de acordo com cultura divulgada e estampada em seu slogan.

– Distribuição: para a perfeita gestão deste tópico é necessário conhecer o potencial do mercado de atuação, a capacidade de produção e principalmente a melhor logística, para abastecer os pontos de venda (PDV) e disponibilizar o produto na gôndola ao passo que toda comunicação for direcionada aos canais e impactar o consumidor para estimular a conversão do produto;.

Para concluir, o ativo intangível mais relevante de uma empresa é a sua marca e o branding é o gerenciamento deste principal componente de vital importância da corporação. O trabalho deve ser permanente e focado em ações estratégicas, que mantenham a imagem da empresa sempre em um lugar de destaque na lembrança do consumidor.